Procure aqui o que voce perdeu

Caricamento in corso...

domenica 19 giugno 2016

50 fatos sobre mim.

Foto minha
No facebook está rolando essa brincadeira de dizer 50 fatos sobre nós mesmos. Acho muito. Não consigo sair do terceiro, isso quer dizer que sou desinteressante? Olho pouco pra mim? 50 fatos é um fato por ano da minha vida. Não consigo.
Talvez você não ache divertida a brincadeira, talvez tenha muito ego envolvido nesse jogo. Sabe,  quando minhas filhas eram crianças e fazíamos planos para as férias de verão, quando os primeiros raios de sol davam sua graça na primavera, brincávamos de listar 50 motivos para ser feliz no verão. Cada uma fazia sua lista e conferíamos as coincidências, quem tinha mais ganhava o direito escolher a música que tocaria no toca fitas do carro  na ida ou na volta da viagem.  Nos divertíamos muito.
Também quero!
Vamos para o jardim e faremos nossa lista com 25 motivos para ser feliz no verão.

Comer no jardim.
Fazer limonada.
Trocar o jantar por um baita sorvete.
Deitar na grama e olhar as nuvens.
Fazer Pic Nic.
Fazer torta de cereja.
Enviar postais para os amigos (ainda o faço).
Ler um romance numa "sentada só" na varanda.
Tomar chá gelado.
Pintar de pink  as unhas dos pés.
Comprar flores frescas.
Nadar a noite.
Ir a Yard Sales ou Garage Sales.
Tomar vinho branco.
Fazer bolas de sabão.
Acender velas perfumadas no jardim ao som de Billy Holiday.
Arco-iris.
Cheiro de terra molhada depois de uma tempestade de verão.
Refazer a horta.
Fazer mandalas de flores.
Ser turista em nossa própria cidade.
Comer leve, pegar leve, ser leve.
Aproveitar as horas extras de sol.
Pedalar.
Andar descalça..............................................................................
..................
Agradecer, agradecer, agradecer

Fiz um mix da minha lista com a da Mrs. Temple.
E os seus motivos, quais são?

giovedì 9 giugno 2016

No fim

"O que parece importar no fim, não é tanto o que nos acontece, mas como percebemos o que nos acontece."
Elizabeth Gilbert
Acabei de ler uma crônica da Gilbert na revista da Oprah que em suma é essa frase acima.

Vou ficar com muitas saudades, cada vez que atravesso esse jardim penso que será uma das últimas vezes.
Em primeiro lugar experimenta esse pão que fiz, uma receita nova que minha filha enviou.
Em segundo lugar ela soltou uma gargalhada o que me irritou um pouco.
Sabe minha filha nossa vida é cheia de términos, recomeços e começos, não seja dramática, o fim pode ser bom, feliz, ainda mais quando sabemos que ele está aí, perto, presente, faremos o melhor, faremos bem feito e  quando tem sabor de quero mais é perfeito, carregaremos o que terminou com tanto amor, carinho, sensação que poderia ter sido mais e não menos.
Tão legal aceitar a transitoriedade. Estou aprendendo.
Filha, a vida nos oferece oportunidades de aprender e são nesses momentos que devemos nos aplicar, a minha vida teve muitas despedidas, sinal que teve muitos encontros também,  muitas  pessoas incríveis como você  se foram, umas eu falo até hoje, outras não, mas continua sendo bom.
Sabe o que eu vou levar de você? Suas receitas, o cheiro da sua casa, o afeto sempre presente, o acolhimento,  o gosto por iluminar a casa de maneira que da vontade de nunca mais sair, seus olhos de azul profundo, o sorriso doce, nunca me deu um conselho, mas sempre me aconselhou. Vou levar seu país, o sentimento profundo que os americanos tem de pertencimento, a música, a arte, o gosto por deixar tudo mais bonito.  O que dizer? Sou diferente agora. Você me alargou, expandiu-me, sou maior agora.
Vou sentir saudades do seu jeito "outgoing" de ser. Quantas gargalhadas demos juntas, acho  mais que  em toda minha vida!
Quando você volta?
Em setembro.
Talvez ainda esteja aqui, se sim faremos aquela torta gelada juntas, se não,
 farei em minha casa brasileira, com o coração cheio de você, alegria e saudades.
O final pode ser bom, as vezes dá até pra ser feliz. Vamos comemorar os relacionamentos que tivemos? Que tal um espumante antes do jantar?
Tim tim.



Mrs. Temple viajou. Férias de verão, mas como tenho muitas histórias com ela, vou continuar reproduzindo as aqui.



venerdì 27 maggio 2016

Você tem toda razão!

Então que eu só gritei, porque......
Pode parar. Você quer me contar a briga, para desafogar emoções ou quer que eu diga que você tem razão? Minha querida,  com o tempo aprendi que quando se  tem razão, a própria razão se justifica, ela preenche todos os espaços vazios, é totalmente desnecessário argumentar pois as pessoas  ao seu redor (inclusive a envolvida na questão) te darão razão sem que você a peça. A verdadeira motivação é tão cristalina, tão cheia de luz que não precisa de  gritos ou palavras. Não existe paz maior que sermos coerentes em pensamentos e atitudes pois, naturalmente a razão vem ao nosso encontro, sem contar que existem momentos que tê-la é completamente irrelevante. Uma vez li uma frase de Churchill "A maior lição da vida é a de que, às vezes, até os tolos têm razão." Ter razão não te faz melhor, inclusive ela é temporária nunca temos razão o tempo todo, ela a razão, sempre troca de lugar.
Estar bem consigo mesmo e promover a paz isso sim é importante.

Fui pra casa e como lição de casa fui ler um pouco e para comprovar que Mrs Temple tinha razão, me deparei com isso:
"Quem exagera o argumento, prejudica a causa."
F. Hegel
Dei razão a ela sem que ela pedisse.
foto da internet



domenica 8 maggio 2016

Dona de assombrosas tetas

Esta noite sonhei que era uma menina de uns cinco anos e queria balançar bem forte  em um balanço no jardim, mas tinha muito medo havia uma  pessoa  comigo e ela  me garantiu que estaria lá para me proteger de qualquer perigo, eu confiei e fui, quando estava lá no alto olhei para trás e a pessoa não estava mais lá. Percebi que estava sozinha e que não podia acreditar em ninguém, tive muito medo.

Minha querida, muitas vezes quem nos impulsiona e nos protege quando estamos enfrentando nossos medos, não é a pessoa esperada, nem aquela que em tese deveria estar, ou até mesmo aquela idealizada, mas acredite sempre tem alguém lá, só nos resta reconhecer, muitas vezes estamos tão limitados naquela imagem que projetamos que nos sentimos completamente sós, ampliar nosso olhar, nos ajudará a ver além do obvio, da sensação de abandono e quebra de confiança. Acredite Sempre tem algo ou alguém.

Me aconchegou no seu peito e me deu um abraço muito envolvente e afetuoso, por um minuto foi meu porto seguro, senti seu cheiro, cheiro  de segurança, cheiro de algo familiar que um dia se perdeu. Senti o batimento do seu coração, os seios acolhedores, um manto.
Foi assustadoramente bom, queria repetir num vai e volta como num movimento forte de um balanço que é tão bom que dá frio na barriga e porque dá frio na barriga é bom.
Olhei pra traz e vi que alguém estava me esperando sim, eu que não reparei.

Mrs Temple Thank you so much

Foto internet

martedì 26 aprile 2016

In Loving Memory

Era para ser um dia de corrida normal, duas voltinhas em torno dos dois lagos e meu exercício diário estaria completo. foi então que um anjo deu um rasante e puxou minha blusa:
Que susto! Tá louco?
Ei, você não viu?
Viu o que?
A placa?
Era uma placa, ahh mas já passou.
Volta lá agora e vai ler.
Estou com pressa.
Vai já agora, algo vai acontecer, Ele vai falar com você.
Não sabia que anjos enchiam o saco, achei que tocavam harpas e davam proteção


Foto minha do celular.


God Saw you getting tired 
A cure was not to be
So He put his arms around you
And whispered "Come with me"
With tearful eyes we watched you
And saw you, fade away
Although we loved you dearly
We could not make you stay 
A golden heart stopped beating
Your tender hands at rest
God took you home to prove to us
He only takes the best.

Deus viu você ficar cansado
A cura não era para ser
Então Ele colocou você em torno dos braços 
e sussurrou: "Venha comigo"
Com lágrimas nos olhos olhamos você
E vimos você desaparecer para sempre
Embora te amando caríssimo, não podíamos fazer você ficar
Um coração de ouro parou de bater
Suas mãos ternas estão em repouso.
Deus tomou você e o levou pra casa 
para nos provar que 
Ele só leva os melhores.

Fiquei emocionada, pelas palavras e por saber que esse rapaz provavelmente era muito jovem, era da turma de 1998
Quanto amor! Quanta saudades!
Lembrei de todas as amigas que tiveram o coração ferido por uma perda, lembrei daquelas que em particular tiveram o coração dilacerado pela perda de um filho, lembrei da Marilu Beer, da Aline Mello e  da Andrea Beverari. Pedi por elas, pedi misericórdia pra que eu nunca conheça essa dor.
Sempre me lembro da Andrea ela perdeu um filho que teria a idade do meu, tenho uma afeição especial por ela. Respeito muito essa mulher. Que mulher!

Corri com força, com gana, corri para sentir o vento, o cansaço, o calor,  a dor, a vida.
Corri como um ato de gratidão, corri para sentir o coração acelerado, o sangue correndo, esquentando, corri por mim, por minhas amigas, por meus amados e  os amados delas.

Quando cheguei em casa encontrei um envelope.
Era dela: Andrea Beverari.
A mulher!
Abri o envelope com a certeza de que Ele falou comigo, falou que temos uma ligação maior que imaginamos, que o amor nunca acaba ao contrário transcende se torna algo grandioso que zela, guarda , cuida e aceita.


Andrea me ama de longe.
Ela é Pastora de uma Igreja Cristã me aceita mesmo não concordando comigo, mesmo não me entendendo as vezes. Imagina uma pastora lendo as merdas que escrevo nas redes sociais? 
Sofreu uma dor muito grande que alargou seu coração, continua amando seu pequeno e resolveu amar mais gente, muiiiita gente, não importa onde estão, como estão e como são.

O que dizer? O anjo pé no saco tinha razão: 

Ele falou comigo, foi lindo, foi pleno, foi luz, foi amor.

Já que estou num momento de agradecer, obrigada Deus por falar comigo com a voz doce da Andrea, porque sua voz de trovão ninguém merece né?






mercoledì 20 aprile 2016

Entre mães filhos e compotas.

Ve-la cozinhar já é um presente. Quando ela começa a me contar histórias sobre sua vida,  familia, como se relaciona com o mundo é uma canção celestial. Me emociona, me transporta a tempos que julgava esquecidos, palavras que perfumam o ambiente. Já sentiram palavras que perfumam? Eu sim. E vieram dela: Mrs Temple.

Nossa, não sei o que é mais trabalhoso, fazer as compotas ou lavar e esterilizar este montão de vidros.
As duas coisas podem ser consideradas trabalhosas, mas fazem parte da tradição da nossa familia que eu receba os meus meninos no dia das mães e que cada um leve para sua casa compotas, geléias, tortas, feitas por mim.
Que bacana!
É um jeito que arranjei de ficar mais tempo perto deles.
Mas não tem muita coisa? São quatro filhos não é mesmo?
Ahhh eu faço bastante e dou sempre a mais, para que eles presenteiem seus amigos, pessoas que de alguma maneira  sintam que estão precisando de um gesto de afeto.

Vi a etiqueta feita por ela com data e a dedicatória: Com amor, mamãe.
Me senti envolvida nessa atmosfera de amor.

Foi sempre assim? E quando você trabalhava?
Sim, foi sempre assim, quando  saíram de casa, um por um foi ganhando sua cesta e que eles  trazem vazia e voltam com ela  cheia. Quando eu trabalhava as vezes cozinhava até de madrugada.
Eu hein, tem o Whole Foods,  Fresh Thyme e se não estiver satisfeita tem o Trader Joe's , desculpe-me mas só de pensar estou cansada.
Querida, foi uma maneira de dar meu amor, meu cuidado de nutrir o corpo e a alma das minhas crianças. Entrego nas cestas um pouco de mim. Eles adoram, me certifico disso, quando vejo sorriso nos olhos  quando eles recebem a cesta, quando fazem apostas sobre o que tem dentro delas. Ficam o fim de semana todo tentando adivinhar. É muito divertido, muito amoroso, muito nosso.

Fiquei pensando e não consegui me lembrar de quando minha mãe fez algo semelhante, porém tenho certeza de que ela deu a melhor parte todas as vezes que deixou de comprar algo pra ela, para comprar para nós, deixou de comer o melhor pedaço do frango para que o comêssemos, deixou de ir ao cinema,  bater papo com as amigas, porque estava cansada por trabalhar demais pra botar grana em casa, me lembro quando ela tirou dinheiro da poupança pra pagar meu curso de inglês.
Sem que eu percebesse ela encheu várias cestas. E eu nem tinha um sorriso nos olhos...

Essa sacola é pra você.
Pra mim? Me dá uma abraço!!!! (Lembram do abraço? Finalmente chegou a hora!)

Aquele abraço me supriu mais que as gostosuras que havia dentro da sacola, aquele abraço me encheu de esperança de um dia ser uma mãe que escolhe todos os dias dar a sua melhor parte aos filhos. Seja em forma de geléia, um cartão, um pedaço de frango.

Foto: Baú da Lola Diacuy













sabato 9 aprile 2016

Tempo, tempo, tempo, Temple...vou te fazer um pedido...

Estou ficando velha.
Que bom! Sinal que está viva.
Fora o fato de estar viva, o que tem de bom?
Ficar velha é libertador. Você não precisa nem quer ser o que os outros esperam que sejamos. Ficar velha te dá o frescor que nos falta na juventude por estarmos cheios de certezas, de absolutismos vãos, ficamos sofrendo em crises existenciais que na velhice a gente manda tudo as favas porque sabemos que tudo isso é uma grande bobagem.
Falta frescor na juventude? Como assim?
Quando somos jovens sobra ímpeto e somos inconsequentes, porém sofremos demasiadamente por nada.
Pode ser. Mas vejo as fotos espalhadas pela casa e noto que você foi muito linda quando jovem, não foi no mínimo incômodo ver sua pele manchar, secar, enrugar, perder elasticidade e firmeza? Seus olhos embaçarem, seus cabelos perderem o brilho?
Primeiro, o brilho que meus cabelos perderam, estão na minha vida, na minha personalidade que com o tempo ficou mais interessante, desculpe a falta de modéstia.
Segundo, eu sempre fui amada deste a infância pelos meus pais, portanto a beleza não foi minha arma para buscar  amor e aprovação das pessoas,  eu já era e me sentia amada entende?  Claro que é divertido ser bonita, os garotos olharem para você, as meninas te admirarem,  muitas vezes a beleza funciona como uma pré aprovação, como se as pessoas não te conhecessem e já gostam de você pelo simples fato de sermos agradáveis aos olhos. Foi bacana, mas passou. Como você passar as férias num lugar paradisíaco e ter que voltar pra casa, foi lindo, você tem boas lembranças, mas passou. Há muito mais envolvido nessa viagem maravilhosamente  louca que é nossa existência além do fato de sermos bonitinhas e agradáveis aos olhos do outro, note do outro. Porque aos nossos olhos nunca seremos unanimidade rsrsrs percebe? Olhe pra dentro. Ganhamos outras coisas, tão mais essenciais.
Me envergonho por ser fútil, mas que as vezes custo acreditar que envelhecer seja tão bom assim. É meio assustador quando o tempo vem e te diz: "agora é pra valer".
Faça você dessa fase um tempo bom.
Obrigada pela limonada, vou pra aula de Yoga as 5pm, você vem também?
Vamos juntas.
Te vejo mais tarde.

Ah esqueci de dizer que nesse processo é essencial que continuemos capazes de amarrar nossos próprios tênis. Cuide-se. Eu me cuido.

Prometo Mrs Temple. Prometo.

imagem da internet





sabato 2 aprile 2016

O pra sempre sempre acaba?

Foto da internet

Eu tive quatro.
Nossa tudo isso?! Perguntei, mesmo sabendo que aqui nos Estados Unidos é muito comum ver casais com mais de dois filhos.
Gostávamos de estar juntos. Disse isso e soltou uma gargalhada.

Eu e Mrs Temple estamos cada vez mais a vontade uma com a outra, tão gostoso ver um relacionamento crescer aos poucos, sem pressa, sem grude.
Perguntei a ela sobre sua familia.

Conheci meu marido em um trabalho voluntário  na faculdade que fizemos em três países da Africa.
Eu já tinha um namorado e pretendíamos nos casar assim que terminássemos a faculdade.
Quando vi aquele rapaz atendendo  pessoas carentes com dedicação e amor, sem se importar com a precariedade dos recursos, me apaixonei.
Na ocasião, não houve flerte, estávamos lá por algo maior que nossos interesses. Ao desembarcarmos de volta aos Estados Unidos, ainda no aeroporto ao me despedir ele me olhou nos olhos e disse: Não se despeça, nunca mais vamos nos separar. Gelei. Ele me abraçou com o abraço mais forte e profundo que me recordo ter recebido em toda minha vida. E foi assim. Nunca mais nos separamos. No verão seguinte visitando meus pais e esperando encontrar meu namorado até então, tomei uma das decisões mais difíceis da minha vida: terminar aquele relacionamento que até então era perfeito. Stephen era divertido, dedicado e muito boa gente, teria casado com ele se não tivesse conhecido Thomas. Ele, minha familia e a familia dele demoraram a aceitar minha escolha. Eu tive medo, mas também não tive dúvidas.  Como planejado, terminei a faculdade e me casei, só que com outro. Rimos...

O começo da vida em comum  foi intenso dividíamos entre trabalho, estudos e filhos, ah os filhos.... vieram um atrás do outro, não foi uma escolha racional mas hoje interpreto que no inconsciente tínhamos pressa em formar e viver intensamente a nossa familia.

Quinze anos depois que dissemos sim para  toda a vida, em um  dia indo para Pensilvânia de carro , me lembro como se fosse hoje, era um dia ensolarado e frio de outono quando as árvores perdiam suas folhas, eu perdi o amor da minha vida num acidente.
Como em uma linda história de amor fomos felizes para sempre, porque as vezes o "sempre" são quinze anos.
Até hoje no outono, quando vejo as árvores se tornando como tochas de fogo com suas folhas em tons de vermelhos, alaranjados e amarelos, lembro-me daquele outono e de como meu coração queimou de dor, até que aceitei (nunca entendi) o ciclo decidi "deixa-lo ir".


Tivemos uma longa e deliciosa conversa, regada a chá de laranja com o muffin que ela fez enquanto conversávamos.

Saí da casa dela pensando sobre escolhas que fazemos durante a vida, me veio em mente a frase de Tenesse Williams (que também se chamava Thomas): "Cada escolha que fazemos é a correta, cada caminho é o correto. Tudo poderia ter sido de qualquer outra forma e teria tido igual significância."








mercoledì 23 marzo 2016

Gênese

"No principio a terra era sem forma e vazia..."

No principio não entendi direito, por não entender, não queria.
Lucinda (minha amiga que mora no principado de Andorra) vou parar, está muito difícil, não consigo acompanhar, tem o frio, tem a solidão dos alienados, tem a vontade de ficar no conforto.
Vai lá Di, você vai gostar, suponhamos que você não aprenda nada,  vai conhecer pessoas, trocar impressões, enriquecer-se, pegar dicas de lugares bacanas, no mínimo vai se tornar uma pessoa mais interessante.
Eu fui.
Não, não ficou legal de uma hora pra outra.
Teve manhãs solitárias, manhãs preguiçosas, manhãs burras, na verdade foram quase todas burras.

Bom dia Mrs Temple!
Bom dia, boa aula!
Que aula que nada Mrs Temple, a senhora sabe onde passa o primeiro trem para Carapicuiba?
Como?...Estou indo hoje a tarde comprar aspargos*, quer ir comigo?
Claro!
Sabe que  aspargo é uma flor e que a colheita se dá no início da primavera? Sinal que o frio está terminando e bons tempos vem por aí. Até mais tarde então!

A caminho do mercado desabafei:

Não estou aguentando mais meu curso, muito difícil, tenho impressão que nunca irei aprender.
Você já tem dentro de si as informações que necessita, faça silêncio e perceberá a maneira mais adequada de capta-las através da experiência e formação de outras pessoas, digo formação em todos os níveis e não só acadêmico.
A senhora acha que sou capaz?
Claro,  não são vocês que adoram citar Ansel Adams: "ao ato de fotografar trazemos todos os livros que lemos,os filmes que vimos, a música que ouvimos, as pessoas que amamos." ? Isso vale para todas as profissões até na minha, não é apenas  o domínio da técnica que te faz um bom profissional, o que temos dentro de nós conta muito também.
Como ela sabe disso? Pensei.

Depois desse papo, me senti mais a vontade, sem medo de errar, deixei meu ego em casa e fui. Relaxada arrisquei, me envolvi, troquei, ganhei. Passou, passou tudo, o frio, a alienação, solidão. Me sinto super confortável. Tem muitas  coisas que ainda não entendo, mas não me cobro tanto, sei que  ainda estão em formação dentro mim, um dia estarão prontas para que sejam percebidas pela minha mente.

Bom dia Mrs Temple! Lindo dia!
Bom dia, boa aula e não se esqueça: Tudo grandioso na vida é feito de humildes começos.

Disse Deus: "Haja luz", e houve luz. - Genesis 3


*aspargos: Um dia farei um post sobre esse dia com  Mrs Temple

Este vaso foi o primeiro do Francesco na aula de Cerâmica.
"Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.
E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas,
Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer." Jeremias 18



Nada é definitivo nesta vida, argila que vira vaso, que quando se quebra vira argila e um vaso ainda
mais bonito nas mãos do oleiro.



sabato 12 marzo 2016

Direito a buscar Felicidade.

Hoje eu vou perguntar. Não quero nem saber,  chega desse papo de vergonha,  timidez, ainda é cedo, não chega invadindo...
- Mrs Temple, desculpe-me mas tenho que perguntar, a senhora ainda trabalha?
- Sim, trabalho em um centro de acolhimento para mulheres refugiadas. Sou médica ginecologista de formação, não exerço mais minha profissão por causa da idade, mas uso meus conhecimentos para amparar mulheres que chegam de toda parte do mundo vítimas de guerra, de intolerância, racismo, abusos sexuais e de qualquer gênero.
Mrs Temple o que move uma mulher como a senhora  , utilizar o seu tempo que poderia se dedicar ao ócio, ao prazer,  aos netos, sair de casa para se doar ao próximo?
Filha minha, primeiro tire a palavra doação deste contexto, porque faz com que eu seja colocada numa posição de abnegação, faz com que as pessoas me vejam de uma maneira especial que não existe. Não sou especial, encaro como minha profissão, servir ao outro. Estamos aqui para servir. Eu, você, nossos vizinhos...simples e esperado.
Essa velhota, alta magra, forte, lúcida, ativa, moderna, pra mim já era grande. Agora se agigantou de um jeito que me sinto pequena, me sinto Alice passando no buraco da fechadura.
Gosto tanto de você, Mrs Temple!
Oww minha querida, obrigada. Eu só quero colaborar para que as pessoas que aqui chegam sejam acolhidas e tenham os mesmos direitos que nós americanos, os direitos contidos na Declaração de Independência dos Estados Unidos:
" ...que todos os homens são criados iguais, dotados ... de certos direitos inalienáveis, que entre estes estão a vida, a liberdade e a procura da felicidade."


Que pessoas do mundo inteiro tenham esse direito garantido Mrs. Temple. Obrigada por existir.

foto  internet






sabato 5 marzo 2016

Chá

Entre, vamos tomar um chá.
Fiquei meio envergonhada, mas não recusei o convite, afinal ela é irresistível e um chá quente quando faz -15 é simplesmente sedutor.
A casa de madeira, aconchegante, com almofadas tecidas em ponto cruz, sofás acolhedores como o abraço de uma avó.
É uma casa de uma senhora idosa, mas não é uma casa envelhecida, os móveis não envelheceram com ela, ao contrário ao lado de um móvel clássico sempre tem algo de moderno, um objeto, uma luminária ou até mesmo outro móvel.
Como ela conseguiu envelhecer sem perder a curiosidade pelo atual?
Como ela se estimula? Preciso da fórmula.
Entro na cozinha, utensílios modernos em meio a uma decoração toda fofa, lembra aquelas cozinhas que a gente entra e não quer sair nunca mais.
Ela quebra o galho da  lavanda seca  que está pendurada  na parede, logo na entrada da cozinha.
Vamos fazer um chá de lavanda para quebrar nossas resistências.
Pensei que o vinho tivesse esse papel.
Ela riu e disse que gostava das minhas respostas rápidas e espertas.
Eu queria dizer a ela que eu gostava dela porque neste momento preciso de uma avó, uma mãe, um abraço experiente e amoroso.
Sim eu tenho amigas mais velhas, mas não muito mais velhas, não o suficiente pra eu desejar encostar minha cabeça no  colo e sonhar com um cafuné, não o suficiente para ter aquele olhar doce, aquela pele caída que deixa o olhar obliquo que não é reto que não é obvio, pois só quem viveu muito sabe que as certezas são uma bobagem.
Eu queria dizer isso, mas ainda é cedo, tenho medo de não ser aceita. Será por isso ela me ofereceu um chá de Lavanda?
foto internet


mercoledì 2 marzo 2016

Mr. Temple

Bom dia! Depois da nevasca um lindo dia não?!

Ela, uma senhorinha perto dos seus noventa anos, senhorinha não, uma velhota alta, magra e estilosa. Senhorinha a gente imagina uma velhinha encurvada, com manias e barulhos de velhos, com seu vestido azul claro, botas marrons e  uma pá na mão limpando a neve na frente da sua casa me chamou atenção.

Bom dia meu nome é Shirley!
Shirley? Como Shirley Temple?
Hahaha, muito espertinha você.
Coragem a sua, está sol, mas faz frio, o solo molhado, esse esforço que a gente faz pra empurrar toda
essa neve...

Olhei a sua mão, aquela mão branquinha cheia de sardas, sinais da idade, pele fininha, mãos magrinhas, porém parecem fortes e firmes.

Filha, aprenda: A neve é como as mágoas durante a vida, se você deixa acumular se torna uma  barreira de gelo intransponível que impede o seu caminhar. Limpe logo, mesmo que seja difícil e desconfortável, é momentâneo. O prazer de ser livre vale a pena.

Foi assim que conheci Mrs (Misses) Temple pelo menos é assim que a chamo desde então.



martedì 9 febbraio 2016

Ciranda de amor

Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a meia volta...
O post de hoje é uma convite para darmos meia volta, parar os nossos afazeres e  voltar atrás para fazer bem a alguém, deixar nossos interesses por alguns minutos e colocar o outro em primeiro lugar.
Faz um bem danado ao outro, um bem mais danado ainda pra gente e faz girar uma ciranda de bem estar, amor, benção incalculável.

Um dia soube pelo facebook que minha musa insPIRADORA Jany Vargas estava lançando um livro: Planeta Eu.
Jany era colunista de um jornal lá no Brasil.  Amava suas crônicas, doces, transformadoras, carregadas de sabedoria e simplicidade. Me faziam bem.
Voltando ao facebook soube que era lançamento do seu livro.
Escrevi uma mensagem para uma amiga a Timinha pedindo para ela comprar o livro pra mim.
Timinha deu meia volta na sua agenda, foi ao lançamento comprou o livro e me deu de presente.
Estou aqui me deliciando com um livro carregado de significados, atravessou milhares de quilômetros sem perder a disponibilidade amorosa que a Timinha teve comigo, o afeto na dedicatória da Jany o amor com que ela compilou essas crônicas e transformou todo esses sentimentos bons em um livro.
Quando leio, transbordo estes sentimentos e passo a derramar sobre aqueles ao meu redor. Minha vida vai ficando mais amorosa, mais risonha, mais valiosa mesmo.
Gratidão.



Vem almoçar com a gente!
Era um fim de semana bonito porém friorento, quando um casal de amigos convidou  eu e as crianças, Paolo estava no Brasil.
Nós? Paolo ( a parte mais divertida da familia)  não está tudo bem?
Claro! Venham sim.
Fiquei preocupada pois não sabia o que levar, eles são veganos e na minha cabeça carnívora isso cria uma dificuldade pra fazer um prato.
Quanta tolice!
Nos esperavam uma casa aconchegante dois gatos lindos, uma casal formado por pessoas maravilhosas, toalha estendida na mesa, comida deliciosa, quentinha, ela deu meia volta e parou tudo que estavam fazendo para nos receber, se prepararam pra isso. Imaginem minha gratidão!
Desde o antepasto até a sobremesa as receitas  não eram somente um apanhado  ingredientes pra satisfazer o paladar e matar a fome, não!!!! Absolutamente. Aquele almoço foi como uma panacéia que sustentou minha alma com todos os nutrientes necessários para nos sentirmos queridos, importantes, sabedores de que nunca, nunquinha estamos sós.
Eu e os meninos temos esse dia arquivado como um dia bom. Este bom não vem de "regular" mas é a raiz da palavra "bondade" (qualidade de quem tem alma nobre e generosa e é naturalmente inclinado a fazer o bem; benevolência, benignidade, magnanimidade.) 


    O que levei? Chá e vinho.
    O prato principal? Vegan Chilli
    O sentimento? Gratidão


O bom de receber cartas é que nem precisa abrir para que o sorriso preencha nosso semblante.
Só de olhar o envelope a letra, a maneira como escreveu já sinto meu corpo aquecido como num abraço.
Chegou!!!!
Graziela deu meia volta e parou o que estava fazendo, enxugou suas mãos no avental, deu uma ajeitada no cabelo, chamou seu menino, confeccionaram um cartão lindo  de natal pra MIM,  foram ao correio e ele chegou aqui nas minhas mãos em forma de amor. Muito amor, amor dos bons.
E se eu te falar que nunca nos vimos pessoalmente?
Gratidão.

Para completar transcrevo aqui um trecho do livro da Jany:
"...para anular o hábito, para abrir a janela para o mundo, para...ver que há outras maneiras de ser. Nos lugares diferentes percebi que aquela que sou se enfraquece e assim se abre a possibilidade de me reinventar. Já no meu lugar de sempre a tendência é me repetir..."
Planeta eu - Jany Vargas
Não poderia ter ido mais fundo em mim. Como pode a pessoa descrever assim tão descaradamente o meu momento atual?
Aqui,  bem aqui onde estou meu ego enfraquece, minhas certezas não são tão certas e assim aprendo, me envolvo, percebo o outro, me reinvento, invento uma pessoa mais  cuidadosa (estou em território alheio), mais sensível...Putz como é deliciosa essa percepção de que existem outras maneiras de ser, outras certezas, outras, outras e outras...

Já que você chegou até aqui, espero que aceite o meu convite de dar meia volta e fazer alguém feliz.
Vc já me fez feliz dando seu tempo e sua atenção que são preciosos.

Gratidão.

Você pode comprar o livro da Jany. Seu perfil no facebook é este. Mande uma mensagem e saiba como.

domenica 24 gennaio 2016

Pátria Educadora.

Vou tentar fazer um post bacana, ou pelo menos que não seja chato.
Não tenho paciência com quem descreve os lugares como quem acabou de decorar um guia de viagens.
Meninos foram pra escola, saem de casa as 6:40 a hora em que o ônibus passa e retornam as 15:40 em ponto tudo tão previsível, sem transito, sem o ajudante que falta, sem pneu que furou.

Mas vamos começar esse post antes, lá trás.
Paolo pesquisou do Brasil várias escolas aqui, um dos critérios de escolha foi o desempenho da escola como um todo, vimos as fotos, ele escreveu para o diretor da escola eleita  que prontamente respondeu disponibilizando as duas vagas, já saímos do Brasil com a entrevista marcada.
Funciona assim, o governo americano dá oportunidade iguais a todos e a pessoa se destaca na sociedade de acordo com seu empenho pessoal.
Os alunos escolhem as matérias que querem fazer durante sua vida escolar, dentre elas tem as obrigatórias que no final do ciclo (ensino fundamental 1, 2  e ensino médio)  devem ser concluídas, ou seja o aluno não tem a velha desculpa de ir mal, porque é mais voltado para humanas, o famoso detesto matemática não  existe.
Por exemplo Francesco (vai vender colar de miçangas na faculdade de história)  escolheu fazer aula de cerâmica, fotografia, como  lingua estrangeira escolheu o alemão (vejo um algo hipster aí), visto que italiano já é sua lingua, foi alfabetizado em espanhol, português é sua lingua pátria, o francês seria sua segunda escolha, ou seja escolheu muitas disciplinas que no Brasil só estando numa Waldorf pra ter essa oportunidade.
O Pietro está fazendo todas obrigatórias, porque quer sair daqui com o certificado do ensino médio para poder entrar na Universidade em 2017 como estava previsto.
Porém na hora da escolha das obrigatórias ainda tem a chance de optar por fazer por exemplo Cálculo ou Cálculo Honours, Geometria ou  Geometria Honours, Inglês ou Inglês Honours, ou seja os cursos honours são os mais avançados, se vc não quer estudar muito vc pode fazer os normais e vai ter o certificado da mesma forma como quem faz o honours, a vantagem vai estar no futuro quando o seu currículo escolar fizer diferença na sua vida.  de novo. Ao meu ver a coisa se inverte no futuro, vc escolheu ser mediano, terá vida mediana, escolheu ser honours, terá uma vida honours.  Oportunidade iguais para todos, vc é quem vai fazer diferença na sua vida. Sem chororô ou mimimi, sem paternalismo. O Pietro está fazendo todas honours, mas não faço parte do time de mães que mooooorrem de orgulho, eu não. Ele tem essa oportunidade, não faz outra coisa na vida que não seja estudar, tem que ir  lá e botar até o talo mesmo. Aliás nunca entendi posts de mães no facebook que morrem de orgulho porque o filho está lendo um livro, ora se é alfabetizado tem mais é que ler mesmo. Orgulho seria se um bebê de um ano de idade  lesse Fyodor Dostoyevsky,  de resto acho normal e esperado.
Orgulho porque passou de ano sem ficar de recuperação?   Afe! Vamos combinar que é o mínimo, a não ser que a criança cumpra uma jornada diária  de trabalho numa fábrica depois do horário escolar.

Outra consideração: atividades extra curriculares. Não pense em botar seu filho no treino de natação, achando que é mais uma atividadezinha pra ele exercitar um possível talento. Em dias de chuva o filhinho não vai, dias que está cansado leia-se preguicinha, não vai, semana de prova não vai. Se o Fernando professor de bateria  do Francesco me ler agora, vai me reconhecer rsrsrsr.
Nããããooooo. Os americanos levam muito a sério o esporte, para eles fazer algum esporte é uma maneira de educar, sem contar que pode ser uma carreira futura, esporte é como uma carreira qualquer, economia, direito etc. Ou seja, se vc optou por fazer natação, vai treinar quatro horas diárias, faça neve, chuva ou sol, esteja afim ou não, tenha prova ou não,  vc tem todo o apoio técnico e de infra estrutura, o comprometimento é seu e tem que ser levado a sério.
Educação Física tem TODOS os dias. Se vc destaca em algum esporte esse "plus" te acompanha até a Universidade. Falei pra vcs que o estádio do time de futebol da Universidade tem capacidade para setenta mil pessoas?
Quando eu me lembro que na minha época as mães pediam atestado médico para os filhos não fazerem educação física por pena dos que não gostavam de se exercitar.

Os estudantes não usam uniforme, mas tem um dress code a ser seguido.

Vamos falar de dimdim?
Os meninos tiveram isenção total na compra de livros e do almoço na cafeteria/restaurante  da escola, porque o Paolo não teve renda em 2015 nos EUA. Ou seja até agora não gastamos um tostão, em transporte, livros, comida NADA para mantermos nossos filhos na escola.

No país de onde vim é muito diferente, porque as pessoas são diferentes né?








lunedì 11 gennaio 2016

49 anos e eu nem usei todos.

Hoje dia  12  é meu aniversário dia 18 é feriado aqui nos EUA dia de Martim Luther King (MLK Day).
Traço um paralelo, MLK morreu aos 39 anos, mas fez muito mais em sua curta vida que eu farei em toda a minha.

Acreditamos que por si só o tempo se encarrega de curar todos os males e realizar sonhos, mas King (King gosto de chama-lo assim, pois  pra mim ele foi o rei do  seu tempo) acreditava  e também eu acredito que o tempo é neutro, cabe a nós,  somente a nós fazer dele algo construtivo, deixando os acontecimentos tristes para trás e olhar para frente usando o tempo ao nosso favor,  pois ele,  o tempo está sempre pronto a fazer o que é certo. Usemos-o criativamente. 

Quando esteve na faculdade, King leu sobre Ghandi (coincidência, estou lendo sua auto biografia) e se inspirou nele e nos métodos utilizados por Ghandi  para libertar pacificamente  o povo indiano da massacrante colonização inglesa.  King lutou pacificamente pela liberdade dos negros nos EUA, pelo direito ao voto, pelo fim da segregação e  pagou com a vida o desejo de liberdade.  
Liberdade na minha modesta opinião é o bem mais precioso que o ser humano pode almejar.  Mais que a educação, quantos refugiados políticos ou de guerra,  doutores diplomados estão padecendo humilhações, morrendo de fome, de frio em situações degradantes, sendo considerados afortunados aqueles que conseguem um sub emprego   na Europa e até mesmo no Brasil porque no seu país de origem não tem o direito de ser quem são, pensar o que pensam? Liberdade é um direito inato. 

Estivemos em Nova York para as festas de fim de ano e vi meus filhos livres, pegando metrô, fazendo seus próprios programas, indo a museus, parques, lojas afins, sozinhos, livres, sem medo, sem angustias.
Eu respirei liberdade,  não tive medo do homem, não tive medo de perder a vida no caminho de casa.
No meu país somos oprimidos pela violência, algo no meu interior lembrou-me do meu direito, do direito dos meus filhos a liberdade e algo exterior  lembrou-me que ele pode ser obtido.

Desde a antiguidade se luta pela liberdade,  desde o antigo Israel o povo partiu em marcha (lembrou-me de Selma) rumo a terra prometida, onde lá teriam a liberdade que lhes foi negada no Egito.

Hoje me sinto na terra prometida, no meu tempo de "descanso", Paolo e eu temos trabalhado duro na reorganização da  rotina de nossa família, aos poucos  as coisas estão se ajeitando, "meus pés estão cansados, mas minha alma está em paz"

Frase de King  “A pergunta mais persistente e urgente da vida é: ‘O que você está fazendo para os outros?"
Aos 49 anos me pergunto o que estou fazendo para o outro, que elementos estou reunindo em minha vida para ajudar o próximo?

Estou me nutrindo aqui de paz, de um sentimento de pertencimento que os americanos conhecem bem, de cidadania, pois aos 49 anos  quero ser diferente do que fui ao 48 quero levar isso comigo, pra vc, por onde eu for, onde a gente se encontrar.

É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
É melhor tentar, ainda que em vão que sentar-se, fazendo nada até o final.
Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder.
Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver
Martin Luther King

Francesco 11 anos, fotografado por mim - Fukuoka - Japan

martedì 29 dicembre 2015

Oh my God Esqueci minha carteira!

Outro dia vi no Twitter este post da Nina Lemos (adoro).


Me lembrou o que aconteceu comigo quando eu morava na Espanha, estar fora do meu país me aguça antigas memórias o que provavelmente não aconteceria se estivesse na minha casa no Brasil.


Estou na fila do caixa do supermercado, junto a outras dez señoras que em conjunto formamos uma gangue selvagem de mulheres entre quarenta e noventa e cinco años dispostas a tudo para que a fila ande mais rapido.
Devo confessar que estas mulheres maquiadíssimas, penteadíssimas as 10:30 da manha com cara de mal humor me dão medo, me sinto pequena , diferente.
A mulher atrás de mim com um terninho com botoes dourados imitacao Chanel, salto quinze deve crer que está muito elegante as 10:30 da manha no Carrefour um sol la fora que nem te conto.
Outra mais atrás com moleton e tenis de salto e cara de poucos amigos e amigas, impoe respeito.
Talvez se eu fosse mais alta as pessoas me olhariam diferente.
Talvez se fosse mais inteligente ou mais futil teria mais amigas.
O fato é que acontecimentos como estes que vou contar agora, me fazem sentir com uma peca de quebra cabecas na caixinha errada, nao encaixo.
Mas nao vem ao caso.
O caso é que estou na fila do supermercado amarrada a um carrinho mais ou menos lotado me perguntando como vou levar tudo isso, ja que nao tenho  carro e possuo só dois braços. Estou espremida entre uma massa de señoras gritonas, entao pensei que tem fases da nossa vida que parecem filas de supermercado: Lenta, incomoda e cheia de gente insuportavel.
Uma señora que tinha só uma garrafa de candida nas maos tenta furar a fila, diante daquelas mulheres bem vestidas e com cara de quem quer vomitar, ela olha pra mim e intui que eu seria a única que a deixaria passar sem reclamar.
Foi o que fiz.
Quando entao escutei o resto da fila:
- Sera posible Señora? No se haga la sueca que nosostras vamos primero!!!!
E olhando pra mim: -  Mira, a ver, que no te cuele otra de estas , parece que estas dormida!!!
A gritaria continua até que a moca do caixa resolve acalmar os animos :
- No passa nada es solo una botella de lejia (Candida)
Por fim chega a minha vez:
A moca do caixa com uniforme de aeromoca, cabelo impecavel, mas um humor de cao comeca a passar os produtos:
- Cerveja para o Paolo.
- Coca cola light para os meninos
- detergente
- Pato purific " mais limpeza para o seu lar, mais saude para sua familia"
- Champingnon ( dizem que antioxidante)
- Aspargos 
- ovos frescos
- atum
- ervilha
- pao de forma integral
- iogurte "sin grasa"  ( leia-se grassa) para mim. ( Os espanhois acharam o termo certinho para definir um alimento sem gordura " sin grasa"). iogurte inteiro para as criancas.
- neutralizador de odor para banheiros ( ninguem é perfeito)
- creminhos anti decadencia para mim.
- Tomate pelado
- agua muuuuita agua.
- Vinho para o Paolo
Bem ta tudo aqui acho que nao me esqueci de nada.
A medida que ela vai passando os produtos tiro da minha bolsa umas cinco sacolas  confeccionadas com saco de estopas ( acho-as lindas e tem a coisa de ser ECO)
Me esforco para ir o mais rapido possivel, porém não é facil, me perco um pouco na hora de separar: pereciveis, frageis, limpeza etc.
Eu tento acelerar, mas a cara feia da moca do caixa me deixa mais atrapalhada ainda.
Enfio a mão na bolsa: - cadê minha carteira. Ai meu deus, nao acho minha carteira.
Comeco a ficar vermelha.
esqueci a carteira.
Ai o que faco???
As outars mulheres na fila comecam a ficar furiosas, seus rostos se transfiguram igual em filme de terror do SBT
A caixa me diz:- Señora es para hoy??? Es que nao tenemos todo el dia!
Uma señora na fila que parecia uma avozinha doce calminha, vociferou: - Isso digo eu, deixei minha panela no fogo.
Outra mulher loira com a raiz do cabelo preta comeca a fazer gestos como quem diz: - Que imbecil!
A ultima da fila uma mulher gordota vem ate a mim e me diz que era para deixar ela passar porque ela estava atrasada para academia, entao pensei: Só se for Academia de Belas artes, ou Academia de letras, se for de ginastica me informe por favor para eu denunciar ao procom.
A caixa olhou pra mim e me perguntou: -  como vamos resolver ?
Nunca senti tanto medo de uma cara tao feia, mais feia que o boi da cara preta.
Eu sugeri deixar as sacolas la e depois voltar para pagar, ja que quando eu mencionei para cancelar ela disse que nao iria fazer pois a compra era grande e tinha que cancelar produto por produto sobre tudo fila  estava grande.
Parece que esta fato troxe um elemento de animacao a rotina do supermercado. De
 repente , patinadores, a moca do atendimento ao cliente, o gerente, todos estavam ali querendo participar do fato curioso.
A mulher de bata florida disse em um tom que nao era para eu escutar, mas escutei: 
- Talvez ela tenha tido um desgosto hoje!
Sua amiga concorda. Outra señora entra na conversa e diz: Outro dia eu tive uma briga com meu marido e saí de pijama na rua sem perceber!!! Um desgosto faz uma mulher perder a cabeca.
Foi quando a chiquezinha imitacao Chanel disse: Depois que este bairro ficou na moda, vieram viver aqui estes hippies, cada tipo!
Pensei Hippie eu!!! De onde ela tirou isto? Ja sei, tirou da bolsa com corrente dourada, do terninho com botoes dourados do colar dourado e dos aneis tambem.
Olhei pra mim, sacolas de estopas, calca jeans desbotada, chinelos havaianas, camiseta Mango basica € 3,45, cabelo precisando de um corte. 
Basta!!!
Agora quem esta furiosa sou eu.
A caixa se voltou pra mim e disse: - Bonitaaa, entoces me diras que hacemos, non tenemos todo el dia!
ANULALO TODO!!!!!
Ahhh????
ANULALO TODO!!!!!
Peguei as sacolas retirei tudo que havia colocado, enquanto eu fazia isso, ela ( a replica do boi da cara preta), comentou com o resto da fila: - Estas tías que se creen que las demás estamos aqui para servilas.
Terminei. Deixei ali a mercadoria, peguei minhas sacolas e fui embora sem olhar para traz, nao olhei para o lado nem para atravessar a rua, pedindo a Deus para nao morrer atropelada, já que tenho dois filhos para criar e um monte de livros que comprei e ainda não li  e ainda  aproveitar os saldos de verao. Tudo isso enquanto atravessava a rua, deve ser aquele filminho que as pessoas dizem que passa quando nossa vida está por um fio.
Quando chego em casa, vejo a carteira em cima da mesa, me dá uma vontade de assasina-la a facadas, após uma sessao de tortura seguida de morte e evadir-me do local sem deixar pistas.

A Nina Lemos teve mais sorte que eu? Vive em um país mais educado que eu na época? É mais comunicativa? Se impõe melhor?
Não sei, só sei que confiro várias vezes se a carteira está na bolsa antes de sair de casa.

martedì 22 dicembre 2015

Feitos um para o Outro.


No inicio dos anos 90 me apaixonei pelo filme "Harry e Sally Feitos um para o Outro" foi através dele que me apaixonei pelo natal nova-iorquino, a arvore de natal gigante do Rockerfeller Center o ringue de patinação onde as pessoas patinam  em volta da arvore,  Central Park com neve,  as vitrines mágicas que nos levam de volta a infância (ao menos a infância idealizada) e a cena da Sally comprando a arvore de natal natural junto com Harry, nunca esqueci.  A primeira árvore de natal que tivemos eu, Paolo e crianças foi natural, Paolo fez questão de comprar com raiz assim tínhamos a possibilidade de  plantarmos depois, ela está no nosso jardim até hoje,  um memorial, para nos lembrar de nossos pequenos começos. 
Eu suspirava toda vez que assistia esse filme, um pouco por romantismo mesmo, aquele desejo de encontrar um grande amor aos 25 anos,  um pouco pelo sentimento de solidão e também pelo desejo de viver  esse espirito de  natal como eu conhecia nos filmes americanos, a maioria ambientado em Nova York. Depois disso vivi muitos natais na neve,  no frio, porém sem o frenesi que aparentemente há no natal  de NY.  Os anos se passaram e eu nem lembrava mais desse filme que virou um clássico das comédias românticas. Quarta feira a noite vamos para Nova York passar o Natal e Reveillon,  assim como Harry e Sally que partiram de Chicago para Nova York por terra, faremos o mesmo trajeto, nem no meu mais delírio de jovem sonhadora poderia imaginar que estaria eu com o meu companheiro de vida, de afeto, de desafios e nossos dois filhos revivendo algumas das cenas deste filme in loco. 
Sobre a cena que eles estão no baile no ano novo e toca “Auld Lang Syne” Harry pergunta o  que essa canção quer dizer pois  nunca tinha entendido direito. ‘Should old acquaintances be forgot.’ Isso significa que nós deveríamos esquecer os velhos conhecidos? Ou quer dizer que, se acontecer de esquecê-los, nós deveríamos nos lembrar deles, o que não é possível, porque então já teríamos nos esquecido deles antes?”
Sally responde: “Bem, talvez signifique apenas que nós deveríamos nos lembrar que já tínhamos esquecido deles, ou algo assim. De qualquer jeito, é sobre velhos amigos.”
Me senti assim algum tempo atras quando reencontrei em um grupo no facebook amigas do meu tempo de adolescência, antigos professores, vizinhos foi então que me lembrei que tinha me esquecido delas, mas apesar disso,  eram minhas velhas amigas,  com elas está a minha história que parecia perdida. 

Termino esse ano com um sentimento enorme de gratidão, de surpresa ao olhar pra trás e ver o que passei e onde estou.  

Bye Bye até Nova ¥ork.

Espero que seja bom, que tenha amor e bom humor.
Ah e assim como no filme, diálogos inteligentes, por que não? rsrs







  

domenica 25 ottobre 2015

Não é por mal Mas vou te fazer chorar...Grata Fernanda Takai

Faz tempo que não passo por aqui.
Desde que comecei a fotografar profissionalmente, minhas visitas se tornaram mais raras. Talvez porque penso que me comunico com mais eficácia através da imagem, ou porque consigo desafogar através dos cliques. Não sei direito.
Uma vez sentada no jardim senti como um sopro nos meus ouvidos: "Para escrever é preciso silêncio na alma."
Talvez seja essa a explicação da ausência: Existe muito barulho no meu interior.
Hoje em especial, meu filho está  inciando o término de um ciclo, meu pai dia 29 faria 89 anos, talvez estaria farto de dias aqui na terra, talvez não, talvez quisesse viver muito ainda, quem vai saber? Dia 19 fez 16 anos da morte da minha mãe.
Bem vim aqui para deixar pra vocês uma carta que escrevi ao meu pai, quando ele se foi, algumas de vocês já  conhecem esta carta a maioria não. Resolvi copiar e colar movida pela tristeza de não ter mais, de não ser possível retroceder.
Só tem uma coisa bacana nesta carta, foi escrita em 2009 e eu era petista meu pai votava no Lula, quando não era modinha/cool/cult ser petista, ao contrário, muitos que cospem fogo hoje pelo PT, certeza que naquela época simpatizavam com o Establishment. Por isso não perdoo quem me excluiu, rejeitou por causa do meu posicionamento em achar que não é bom que um partido permaneça tanto tempo no poder, por achar que é saudável uma renovação, afinal de contas a esquerda brasileira não é só o PT. Hoje não preciso e não voto mais, hoje tenho uma relação com essas pessoas somente por ter preguiça do rompimento, por  convenção social.
Mas enfim, o assunto não é política e sim saudades.

Voce se foi 14/08/2009
Faltava pouco pra eu voltar.
Lembrarei sempre de você, com as camisas coloridas e da camiseta regata  hering branca por debaixo, boina vermelha na cabeça, sabonete Phebo aquele preto, água de colônia depois da barba que era feita com espuma bozzano, pincel e gilette daqueles aparelhos que se colocam as laminas, este era seu cheiro. Cheiro de pai. Quando eu viajava trazia pra você os óculos mais bacanas que encontrava , seus amigos  passavam para te ver na banca de jornal e diziam: - E aí Boy? Era ver  engraçado  te ver aos 70 anos ser chamado de Boy.
Você adorava. Estiloso.
PAI, ai como é gostoso poder dizer "pai", como é bom poder chamar alguém assim: Ôhhh pai! Só agora eu sei.
Quando eu soube que você  se foi, falei para os meninos ( o Paolo está viajando):
- Gente a mamãe vai sair um pouquinho, preciso ficar sozinha,  fiquem aqui , tem coca na geladeira, pode tomar as dez latas se quiserem, pode pular na cama, ligar a tv no volume mais alto até os vizinhos enlouquecerem, pode tomar banho de banheira e fazer guerra de espuma ate alagar o apartamento inteiro, mas por favor não briguem não pulem da janela,  não acendam fósforo, não peguem em faca quando eu chegar se vocês estiverem vivos eu compro um sorvete pra cada um.
O Pietro me perguntou: - Mãe você esta doente?
- Não só estou triste.
 Os dois em coro: - Mãe vamos com você.
- Não senhor pode ficar aqui. Quando o seu pai morrer eu deixo vc fazer o que quizerem, ir para onde der na telha. Agora está na minha vez.
Eles nao tiveram coragem de me responder. as vezes fico me perguntando que opinião meus filhos seus netos tem ao meu respeito.
Peguei a bicicleta e fui a praia:
Fiquei observando as pessoas e pensando em você. Tudo me faz lembrar você. Me segurei para não ir atrás das pessoas: - Hein você tem pai? Seu pai já morreu? Você estava perto dele? demora muito pra passar tudo isso? Seu pai também te dava bronca? Contava historias engraçadas, te fazia rir só com uma frase?
E quando eu via um velhinho então tinha vontade de perguntar: - O que você comeu para não ter um AVC, existe alguma simpatia para não morrer aos 83 anos? Sua filha deve te amar,   sabe o senhor  não me conhece mas eu te admiro muito, você não morreu, não fez sua filha chorar, bom  o papo ta bom mas tenho que ir, comporte-se tente não morrer, eu também vou tentar.
Lembro de você com sua melhor roupa em dia de eleição, sempre votando na esquerda, como você sempre dizia: - Só voto em perdedores. Quando o Lula ganhou você chorou, eu não estava ao seu lado, estava muuuiiiito longe, como não estava ao seu lado no seu aniversario de 80 anos. Assim como ontem você foi embora e eu não estava ao seu lado. Só queria passar uma tarde inteira com você, pedindo pra  me contar seus causos.
Nunca mais suas historias, suas piadas, seus conselhos ( que nunca ouvi por sinal)
Lembro-me  que aos 15 anos quando eu queria sair com minhas amigas a noite você dizia:
- Bom programa faz, quem em sua casa está em paz.
Hoje talvez eu escutasse este conselho, mas pô pai sinceramente  aos 15 anos a gente quer tudo,a ultima coisa que queremos ter é  paz!!!!
Quando eu voltei da praia ( não se preocupe, seus netos estão vivos) aquela vizinha antipática do apartamento ao lado, aquela italiana que vive na Alemanha veio me perguntar:
 - Desculpe senhora, mas vi que no térreo tem marcas de sapato de alguém que pisou em algo que parece cocô. Por acaso foi a senhora?
Ah pai, pelo amor de Deus! Você morre e a mulher vem me perguntar se eu pisei na merda?Tenha dó né! Não respondi, não disse nada só olhei para cara dela, não disse um palavrão por respeito a você, poderia tê-lo dito em italiano e espanhol ( no fundo no fundo vc ficaria orgulhoso), porém me calei. Talvez se eu soubesse alemão....
Bom é isso aí. Eu queria o teu colo, queria te dar colo, pentear seus cabelos, nunca vou me esquecer da sua barriga grande e peluda, fazer o que vou viver a vida com você dentro de mim, contando suas historias para seus netos.
Te amo tá., não se esquece te amoooo.

Vou ser pra sempre sua caçulinha da Rua Sônia Maria.

venerdì 17 aprile 2015

Gratidão

ATENÇÃO: Esta não é uma mensagem de final de ano onde as empresas agradecem aos clientes e funcionários.... Este é um post que trata de gratidão.

Sempre agradeço quando vou fotografar alguém,  não se pode sair ileso a oportunidade de aprender quando alguém se expõe e se entrega diante de mim que até então era praticamente uma estranha.
Amo cada trabalho que faço por isso.
As vezes recebo meus retratados no meu estúdio, outras vou até eles e quando chego ao recinto nunca me esqueço de ser grata  a oportunidade de conhecer essas pessoas mais de perto e aprender muito com elas.
Pensei nessa frase de Shakespeare para ser título deste post, mas desisti, pois não quero fazer aqui humildona da vez, porque nem sou humilde (infelizmente), mas que a gratidão nos enriquece isso sim.

"A gratidão é o único tesouro dos humildes."


Separei aqui meus ultimos trabalhos que não foram para o site, mas estão no meu coração.

Com essas aprendi a alegria de ter amigas, ter amigas nos ajuda a aerar a mente, o espiríto, o corpo e a vida.

Com essa aprendi o quão importante é ter excelência em tudo que se faça e um olhar amoroso aqueles que nós solicitam profissionalmente.

Com eles me senti amada, me senti importante mesmo, quando ele me trouxe dois livros de presente, me senti compreendida.

Com eles aprendi que para um relacionamento feliz é necessário uma boa dose de  delicadezas diárias

Com ele aprendi que ser mãe é muito mais que ter um amor incondicional é ter uma baita força sem limites.

Com eles aprendi que a força, coragem, intrepidez, a fraqueza a dúvida o medo  podem andar juntos e não só isso podem se completar. Quando uma pessoa completa a outra de verdade,  todas as outras ao redor percebem e admiram sem precisar levantar nenhuma bandeira.


Com ela aprendi a força motriz que é amar o que se faz o  que se escolheu pra vida.

Com essa  aprendi que as vezes é possível, provável e muito bom quebrar as barreiras entre o profissional e paciente, para se chegar no resultado pretendido.

Obrigada meu Deus, obrigada meus clientes que a cada dia me proporcionam lições que guardo pra vida no meu coração, pois a mente pode  se deteriorar com o tempo, mas a emoção que senti do que  aprendi com vocês essas serão eternas.
E agradeço aqui principalmente ao meu marido meu maior incentivador, aquele que me poliu (polimento gera atrito e dói)  mas por ele e por causa dele sou uma pessoa muito melhor hoje.

lunedì 23 marzo 2015

Meus Pensamentos de Menina

Di, será que você reparte seu lanche? Ainda usa óculos de grau? Na época eu não usava agora sofro de miopia braba. É crespa ou se rendeu a chapinha? Ainda usa calça de helanca? Eu era apaixonada pela sua calça de helanca azul, minha mãe nunca me deixou usar. Adorava sua Melissa, seu jeito doce, inteligente, você é  boa em matemática? Ainda tira A? E sua mãe, faz comida gostosa? Seu Fernando ainda é brincalhão? Sua prima Patricia? As amigas que a gente brincava de corrupio, Isabel, Tinica (sabe que um dia levei um tapa na cara da Tinica? rsrsr), Salete. E as meninas populares? A Celinha (sabe que um dia a encontrei no super mercado? Igualzinha, claro um pouco liquidificada pelos anos,   como todas nós) a Soninha, a Irinéia. E os boys? O Renné, o Sérgio fofinho. Fofinho?  Será que é  um senhor fofão agora? Sua irmã Dayse ainda mora em Itajubá? Na época ela fazia faculdade lá. Era nosso modelo de beleza e independência.
E você Sandra? Ainda é magra e sexy? Eu uma tábua achava lindo seus peitões, em compensação eu tinha mais bunda que você. Mas você  tinha liberdade, a liberdade que tanto lutei e nunca consegui ter em casa. Você  ia ao clube com um biquíni minusculo de crochê cortininha deixava todo mundo louco.  Adorava ver seu relacionamento com sua mãe. Tão amigas, tomavam sol no quintal juntas, dormiam até tarde. Sempre sonhei ser amiga da minha mãe, mas não deu. Éramos diferentes, tínhamos expectativas diferentes e na geração dela ainda não se admitia que filhos tem personalidade, sonhos, valores que nem sempre são idênticos aos dos pais.
Escrevo para você Dirlayne e você Sandra, para dizer que adorei ter perdido o sono, Paolo viajando e fui para o Facebook visitar minhas várias vidas, abrir diferentes gavetas e achei vocês numa delas, talvez a mais prazerosa. Claro que dentro dessa gaveta também tinha uns perrengues, repeti a sexta, meus pais brigavam demais, meu irmão...
Quando vocês aceitaram meu pedido de amizade eu me senti de novo na sexta, na escola, na cantina comendo pão com molho, na avenida Rui Barbosa, senti o vento batendo no rosto quando a gente corria na quadra, senti o suor escorrendo pelo pescoço de tanto pular amarelinha, senti o medo da prova de matemática, a alegria de ver nossos nomes na lista com o Aprovado na frente no páteo da escola pra todo mundo ver e depois ver com um certo prazer (maquiavélico) quem repetiu ou ficou de recuperação.
Queria ver vocês de novo, mas quem são vocês agora? Vocês não estão mais na 6ªA , vocês não pulam mais amarelinha. Ainda riem a toa? O que iremos beber? Nescau? Leite com espuminha? Quem são vocês agora? Quem sou eu?